quarta-feira, 11 de maio de 2016

É uma cura


Ele acalmou agora.
Ele sabe que é bom estar contigo.
É bom sorrir, sentir-me um ser vivo,
uma criança
sem horário de ir deitar.
Qualquer simplicidade que se faça
é motivo para valorizar.

Está aqui um tesouro.
Uma coisa por muitos procurada,
eu reconheço, e esforço por manter.
Isto envergonha o ouro.
Pertence-me e não me deixo ser roubada.
Se tiver de lutar hei-de fazer.

São necessidades,
não são caridades.
Não há outra forma de viver
senão com esta constante preocupação,
pensando em surpreender,
em trocar as voltas à normalidade.
E ver os frutos,
os sorrisos, a alegria...
Sim, isso é uma cura.
Também às vezes loucura,
mas enfim, faz bem sermos loucos.
E não somos assim tão poucos.

Aguardem-me.
Ainda não acabou.

2 comentários:

  1. Seremos uns eternos loucos!
    Adorei! beijinhos

    ResponderEliminar
  2. A vida tem sempre um pouco de loucura. É bom.
    Gostei do poema.
    Um beijo.

    ResponderEliminar