sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Cansa

Afinal cansa.
Respirar manualmente,
raciocinar apressadamente,
fazer aquilo que mais gostas.

Ser valente quando não se é, cansa.

Cansa virar costas ao cansaço
e não ficar apenas à espera do último suspiro.
Cansa seguir-te de longe o rasto
quando a teu lado estar eu prefiro.

Afinal cansa,
amar exaustivamente
o que nem um minuto a teu lado descansa.

Afinal cansa,
a rotina de esperar um sinal teu
e que sejas meu.

Cansa mas não desisto

1 comentário:

  1. Não desistir, nunca. O esforço compensa sempre.
    Gostei do poema.
    Um beijo.

    ResponderEliminar