domingo, 8 de fevereiro de 2015

Talvezes

O amor não foi feito para ligar-se a alguém,
não exige amor em troca do seu.

Se me pedirem amor, vão receber,
mas pedem-me algo impossível de conceber...

O buraco maior que alguma bala fez
é inferior a este que colecionei.
Não sabes talvez,
se soubesses impedirias,
farias algo para mudar isso duma vez.
Ou não?

Bem melhor não ter certezas,
certeza do sim traz alegria,
mas certeza do não é bem pior.
Tenho de me contentar com os talvezes.

Eu queria que o amor fosse suficiente,
porque para mim é.
Eu gostava que um sorriso fosse suficiente,
mas só vicia-me.

Quis a ferida temível,
agora aguento a cura.
O amor é uma cura que arde,
mas é infalível.

3 comentários:

  1. Qual é a cura que te procura???
    A minha é a loucura...

    ResponderEliminar
  2. "O Amor é mesmo uma cura que arde..."!
    Bonito Poema !

    ResponderEliminar