sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Enredo

Dás valor a quem
não to sabe dar,
dás tudo além
do teu despertar,
vives na tua nave,
sem tempo para respirar,
és a minha dor mais grave,
aquela que não sabe sangrar.

Tenho raiva, tenho medo
que saibas que te segredo
aqueles cavados segredos,
dos quais nem lembro o enredo.

Sem comentários:

Enviar um comentário